O retorno à normalidade

O retorno à normalidade

Nestes últimos dias, vivemos momentos de insegurança que levaram muitas pessoas a fazer enormes filas nos postos de gasolina, outros a estocar alimentos com receio que faltassem, fazendo-nos pensar sobre o quanto estamos acostumados a permanecer na zona de conforto e ter dificuldade de se adaptar a uma nova rotina.

Os mais práticos tiveram a oportunidade de expressar sua criatividade, abriram mão do carro e optaram por bicicleta, fizeram várias idas ao supermercado para verificar o que de fato estava ocorrendo, se corriam o risco de ficar sem o básico para sobreviver, mas estavam prontos a buscar novas receitas, pois iriam buscar o que fazer com o que estivesse disponível nas prateleiras.

A angústia tomou conta da população, vários eventos foram cancelados, inclusive o Universo Feminino em Debate, gerando transtorno para comunicar a todos os inscritos e palestrantes sobre a necessidade de reagendar uma nova data. Em 7 anos de evento, pela primeira vez me vi diante dessa realidade, porém esperei até a véspera para agir, na esperança que tudo fosse resolvido. Entretanto, as coisas não são tão fáceis quanto parece, e o milagre esperado não aconteceu, levando-me a agir rapidamente.

Com essa situação em todo o território nacional, muitas pessoas puderam expressar solidariedade, dando carona, dividindo o mesmo táxi em busca de um meio de locomoção quando os ônibus não circulavam, fazendo compras a um vizinho que não tinha mais gasolina no carro e não tinha condições de fazê-lo por outro meio etc.

Enfim, ocorreu de tudo um pouco, o que mostra que sempre precisamos obter um aprendizado, mesmo em situações adversas, pois só assim estaremos evoluindo como seres humanos, nos conhecendo e sabendo dos nossos pontos fracos e da nossa capacidade de resiliência. Assim como eu, espero que muitos tenham percebido em si esse processo e possam estar preparados para a vida de fato, não a regida por conveniências e certezas, mas aquela que nos conduz à imprevisibilidade.

Ótima semana!!!

Rosane Machado

Mestranda em Estudo sobre as Mulheres, Gênero e Cidadania pela UAB de Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *