Usando a astrologia como autoconhecimento

Usando a astrologia como autoconhecimento

Eu não sei se você sentiu todo este turbilhão de julho, mas em mim bateu muito forte todas estas combinações astrais que estão no céu. Pra quem acredita em astrologia – como eu, sou a louca dos signos haha – pode utilizar esta ferramenta como um saber para o seu próprio desenvolvimento como pessoa. Julho está sendo um mês intenso e ontem nós tivemos um eclipse solar que vai nos afetar no mínimo pelos próximos seis meses, para a Astrologia este evento é de extrema importância.

“Eclipses sempre simbolizam mudanças, acontecimentos inesperados, reviravoltas, e os Solares podem trazer acontecimentos do passado de volta, afinal, o Sol representa o futuro, nossa essência, aquilo que está em nós querendo sair, e com sua luz obscurecida pela Lua, reflete em nós situações não tão agradáveis, ou até melhores, mas que deixamos pra trás dependendo da situação.

Como esse Eclipse caiu em Câncer, e este é um signo que fala sobre nutrição, passado, conexões emocionais, fundação, casa, lar, raízes, família etc., neste Eclipse Solar esses assuntos poderão ficar muito mais intensos pra nós e até destrutivos, pois é como se nosso inconsciente entrasse em ebulição, e passássemos a sentir tudo de uma vez o que viemos escondendo de nós mesmos.

Mas o principal fator a ser tratado aqui é que Eclipses mostram a verdade velada. Aquela que fizemos questão de esquecer, por isso será um momento ímpar pra curarmos essas situações dentro de nós, e é até provável que muitos de vocês já estejam sentindo sua influência há algum tempo.

Sol fará um trígono a Netuno, e esse é um aspecto bem favorável pra nos ajudar nesse processo de cura, já que Netuno é o planeta que aborda questões espirituais de forma mais intensa, e nos permite ter uma visão mais lúdica e pura sobre nós mesmos, sobre a vida e as pessoas. Será de fato um portal, ou no mínimo um período de reconexão com a nossa origem, a nossa essência, e isso poderá auxiliar a nos lembrarmos mais de quem somos, ou do que realmente queremos, mas deixamos pra trás por algum medo ou resistência.”

 

Por Lua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *