A força da maternidade

A força da maternidade

Esta semana conheci um pouco da história da Luciane e de seus quadrigêmeos gerados por inseminação artificial. Inicialmente, ela havia pensado em no máximo dois, pois um achava pouco, mas fora surpreendida com quatro bebês que se tornaram a razão da sua existência. Fico pensando em quantas noites sem dormir, somadas às preocupações naturais de criar um filho, mas tudo isso com quatro! Apesar disso, em nenhum momento relata ter ficado deprimida, ou sem ação diante dessa realidade, ao contrário, foi dominada por uma força que até hoje mantém.

Tornou-se incansável e sempre encontrou quem auxiliasse nesse processo, sua mãe participa ativamente, com mais duas babás, porém a maior reponsabilidade em administrar o sustento e a educação deles é da própria mãe, que tem usado de sua criatividade nas redes sociais, divulgando seu cotidiano e mostrando um pouco do que é ser mãe de quatro.

Gerar um filho sem uma figura paterna que possa auxiliar na formação da identidade dessas crianças, ou até mesmo numa pequena dúvida natural de quem gera um filho, é um ato de coragem, mas, sobretudo, de desejo de ser mãe, o que faz uma grande diferença nesse processo, pois sua força se expande e a auxilia em suas decisões.

Essa história deixa uma lição para quem tem apenas um filho e não consegue administrar seu dia a dia, tornando-se muitas vezes confusa ou até mesmo arrependida com a maternidade, pois com certeza é um projeto que deve ser bem pensado, para que no futuro não surjam arrependimentos.

Ótima semana!!!

Rosane Machado

Mestranda em Estudo sobre as Mulheres, Gênero e Cidadania pela UAB de Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *