Relacionamentos nocivos

Relacionamentos nocivos

Você chegou a ler a reportagem do jovem de apenas 25 anos que espancou sua namorada na Flórida, nos EUA? Diariamente, a mídia televisiva invade nossos lares com cenas de violência contra a mulher que nos fazem pensar em que mundo estamos vivendo, no que se transformou o ser humano, que não tolera ver a situação da mulher na atualidade. Em trecho gravado pela própria namorada, uma jovem de apenas 22 anos, que se sentiu amedrontada com a forma que fora tratada em tão pouco tempo de namoro, ele dizia: “Para de ser burra! […] Você não aceita o homem que tem mais dominância do que você. Você não aceita, você acha que é o homem da relação. Mas você não é, você é uma mulher, tem que aceitar isso!”. Para mim, fica claro que existe uma disputa de poder por parte dele, que busca de uma forma violenta fazer valer seus direitos de homem viril. Quando vejo uma cena como essas partir de um jovem que vive em pleno movimento que questiona a masculinidade regida pelo sistema patriarcal, que busca por meio de debates repensar essa forma de ser ainda presente nas relações, receio que tudo está sendo em vão, pois esse rapaz deveria estar revendo atitudes da sua categoria e nos proporcionar momentos de gratificação e exemplos a serem seguidos. Entretanto, sem saber conter sua ira sobre uma jovem que parece ser independente, pois desde 2015 estuda no local, tornou-se possessivo e tentou intimidá-la para que se sujeitasse a sua vontade. Em tão pouco tempo de namoro, apenas três meses, sua fúria incontrolável proporcionou momentos de terror para ela, que conseguiu se trancar no banheiro para se proteger. Porém, sua força venceu a porta que os separava e só não a matou porque a jovem entregou seu celular, tido como o motivo dessa violência, e conseguiu fugir para a portaria. A jovem deixa um recado a todas as mulheres para que não espere que o parceiro mude, se mostrar sinais de violência logo de início, caia fora, não vale a pena insistir em algo que poderá se transformar em tragédia. Aqui estamos sempre orientando a esse respeito, se ame, se cuide, se respeite e tenha coragem de romper com um relacionamento nocivo.

Ótima semana!!!

Rosane Machado

Mestranda em Estudo sobre as Mulheres, Gênero e Cidadania pela UAB de Portugal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *