A frustração e a solidão

A frustração e a solidão

Irei relatar aqui um fato que me surpreendeu neste final de semana. Estava fazendo minha atividade física em um parque turístico quando um casal jovem me pediu para tirar uma foto deles. Sem parar, fiz com as mãos que estava caminhando e não desejava interromper meu ritmo. Para minha surpresa, ele começou a gritar em um tom elevado desaforos por não ter atendido seu pedido e me disse: “por isso está sozinha, ninguém te quer”.
Estou até agora sem entender o ocorrido, fico pensando em sua namorada, que não disse uma palavra, talvez com receio de sofrer alguma agressão física depois de assistir ao modo como ele tratou uma estranha. Confesso que fiquei assustada com sua reação, imaginando o que não deve acontecer na intimidade do casal e o que deve mantê-la ao lado de uma pessoa impulsiva, com nível baixo de frustração, além de ser grosseiro. Fui mais além e me remeti ao universo imenso de jovens que se sujeitam a tantos maus-tratos que já não conseguem diferenciá-los de uma atitude saudável. Terão medo da solidão e da sua própria companhia?
Confesso que adoro ter “um quarto só meu”, como o de Virgínia Woolf, onde posso me descobrir, me explorar. São tantas as possibilidades ao nosso alcance que às vezes a mulher passa uma existência sem se conhecer, por estar tão envolvida em conseguir alguém ou tentar eternizar ao seu lado uma pessoa que não está mais na mesma sintonia. As pessoas têm medo da solidão ou de não encontrar mais alguém que as compreenda e queira viver uma vida a dois.
Em tempos de aplicativo em busca de um parceiro e trocas imediatas por uma pessoa fotogênica que sugere ser bonita, vamos sendo levados por enganos, sem querer se deparar com a realidade. Sou pessimista? Não, apenas acompanho as transformações da família, dos envolvimentos. Com certeza, não podemos dizer que são iguais há vinte anos. Concordas comigo? Quero apenas te transmitir a seguinte mensagem: se valorize, se encontre, descubra o ser maravilhoso que grita dentro de ti para se expandir no universo, para não ser enganada. Sempre é tempo para ser feliz!

Ótima semana!!!

Rosane Machado

Mestranda em Estudo sobre as Mulheres, Gênero e Cidadania pela UAB de Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *