25 de novembro – Dia Mundial pelo Fim da Violência Contra a Mulher

25 de novembro – Dia Mundial pelo Fim da Violência Contra a Mulher

Nesse último domingo, as pessoas puderam refletir um pouco mais sobre a violência contra a mulher, para que se conscientizem sobre essa realidade que cada vez mais tem levado muitas mulheres a óbito, sem terem a oportunidade de se desvencilhar de uma relação nociva. Uma leitora pediu para dividir com vocês parte da sua história, pois muitas podem estar vivendo como ela viveu durante doze anos, em que se viu presa a uma relação sem conseguir ter a coragem para romper o ciclo. Nesse período em que esteve casada, abriu mão do sonho de ser mãe, pois ele queria atenção exclusiva, não aceitando um terceiro na relação, abandonou amigas, família e o curso da faculdade. Tinha uma mesada que cobria suas despesas, por isso não trabalhava, vivia somente para essa relação. Apesar das pessoas a sua volta alertarem sobre sua situação, em especial quando aparecia com a pele marcada, por mais que tentasse disfarçar, algo denunciava a agressão sofrida, ela não estava aberta a opiniões, não conseguia enxergar o que as pessoas percebiam, estava completamente envolta em uma rotina que a satisfazia, pois encobria seus medos e a falta de coragem para tomar uma atitude que modificasse sua vida. Quando Helena começou a ler os textos do blogfemininoemdebate.com.br e seus temas variados, que buscam transmitir força, autoestima, conscientização do papel da mulher na atualidade, se sentiu pronta para fazer uma escolha, foi a motivação que faltava para ingressar em um novo mundo. Confessa não estar sendo fácil, mas está contando com o apoio de familiares e amigos que havia abandonado. Apesar das dificuldades, sente-se livre para recomeçar, inicialmente partindo em busca de si mesma, pois se abandonou durante esse período. Está descobrindo seus gostos, desejos e, sobretudo, que tem muitos sonhos e esperança de dias melhores. Helena, quero te agradecer por querer dividir sua história com a gente, pois imagino quantas estão na mesma situação e sem coragem de dar o primeiro passo para a mudança. Que a leitura deste texto proporcione a elas um despertar, um pequeno toque que possa sinalizar uma outra possibilidade, dando-lhes o necessário para seguir seu próprio caminho, nessa grande aventura que é a vida.

Ótima semana!!!

Rosane Machado

Mestranda em Estudo sobre as Mulheres, Gênero e Cidadania pela UAB de Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *