Por que ainda se exige uma imgem perfeita das mulheres?

Por que ainda se exige uma imgem perfeita das mulheres?

A jornalista Michelle Sampaio tornou pública sua demissão de uma emissora conhecida por sentir-se injustiçada com o motivo alegado por eles, o fato de não ter retornado ao seu peso depois da gravidez. E com um agravante de ter sido excluída de âncora de um jornal por estar acima do peso, realizando outra atividade que não expunha seus quilos extras.

Fico pensando em como ela deve ter se sentido, vendo que sua imagem não correspondia aos anseios da emissora. Como ser mãe e, ao mesmo tempo, conviver com a angústia de estar acima do peso e não conseguir recuperar a forma ideal para poder seguir com seu trabalho? Além de tudo que a maternidade exige da mulher, ela ainda tem que se preocupar com isso também? As exigências impostas às mulheres continuam sendo maiores em relação aos homens.

Não sei a história dessa jovem, mas nada justifica a humilhação de ter que se esconder atrás das câmeras por sair do perfil idealizado pela referida emissora. O que pretendem eles com isso? Qual imagem querem passar aos telespectadores? De uma supermulher que, ao ganhar um filho, retoma suas atividades com a mesma desenvoltura de antes, esquecendo-se das noites sem dormir, pois a criança, muitas vezes, requer cuidados especiais ou exige mais atenção no início, especialmente nos primeiros meses. Como estar sempre elegante e disposta com a incerteza da sua profissão? Esta que a manteve reclusa por não ter conseguido voltar ao seu peso “ideal”, querendo mostrar uma imagem “perfeita”.

Nós, mulheres, precisamos ser respeitadas e valorizadas pela nossa dupla jornada, de dona de casa e profissional, de mãe e esposa. Buscamos nos manter ativas profissionalmente apesar de todos os afazeres e exigências que nos são delegados.

Por fim, espero que a jornalista encontre um trabalho que a reconheça pelo que ela é como profissional, competente e capaz de desenvolver um trabalho digno, como bem foi colocado pelos seus colegas, que se revoltaram com o ocorrido.

Ótima semana!

Rosane Machado

Mestranda em Estudo sobre as Mulheres, Gênero e Cidadania pela UAB de Portugal.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *