Três iniciativas inspiradoras lideradas por mulheres

Três iniciativas inspiradoras lideradas por mulheres

Tem dias que ser mulher pesa. É preciso enfrentar obstáculos profissionais em dobro, criar seu próprio caminho para o sucesso e, de quebra, perceber como só a empatia e a sororidade salvam. Quem foi criado para cuidar do outro sabe o papel que o carinho representa para o empoderamento feminino. E tem muito mulherão mostrando a que veio, abrindo o peito e a cabeça em busca de um mundo mais justo, igualitário e, por que não, mais sustentável.

Separamos aqui três histórias de mulheres inspiradoras, que dedicaram seu tempo para reescrever suas histórias e a de muita gente.

Asia Newson e o empreendedorismo

Com apenas 5 anos, Asia Newson já ajudava o pai a fabricar e vender velas em Detroit, nos Estados Unidos. Aos 13, o passatempo se transformou em uma incrível empresa social, a Super Business Girl.

O lucro das vendas é usado por uma boa causa: ajudar outros jovens a explorar seu lado empreendedor. A menina oferece workshops em escolas buscando desenvolver o potencial de crianças e adolescentes e empoderá-los com ferramentas para criar suas próprias oportunidades, gerenciar suas finanças e, é claro, ganhar dinheiro enquanto fazem o que gostam.

Elas colocaram amor no cabide

Durante um inverno em Porto Alegre, três amigas se uniram para evitar que mais gente passasse frio. Juntas, Helena Legunes, Luana Flôres e Laura Camardelli fizeram um mutirão, coletaram roupas e as espalharam em cabides pela cidade para ajudar quem precisa.

Cada cabide vinha acompanhado de uma plaquinha com os dizeres:“Pegue ou deixe seu amor (também conhecido como agasalho) aqui neste cabide”. Assim, qualquer pessoa que encontrasse estes pontos poderia deixar novas peças ou pegar para si aquelas que fossem necessárias para aquecer seu inverno.

Por um mundo com menos lixo

Lívia Humaire não se contentou em diminuir sua pegada ecológica, reduzindo sua produção de lixo. Ela viu neste estilo de vida uma oportunidade de ajudar outras pessoas a reduzirem o uso de descartáveis e de utensílios plásticos. Foi assim que, no ano passado, abriu a Mapeei, a primeira loja lixo zero do Brasil, para que mais pessoas possam cuidar do mundo assim como ela.

Antes disso, Lívia havia sido uma das estudantes responsáveis por implementar a Revolução dos Baldinhos, em Florianópolis, um sistema de coleta de resíduos orgânicos nos morros da cidade para compostagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *