Quero minha Barbie negra

Quero minha Barbie negra

No primeiro semestre do ano os norte americanos ficaram chocados quando se deram conta que uma das mulheres mais poderosas do mundo – em vários sentidos – era, pasmem… negra! E não estou falando de Michele Obama – outra poderosa dos Estates – mas sim da diva do Pop Beyoncé. A cantora lançou um álbum com forte crítica ao racismo e violência policial, “Lemonade” é certamente o álbum mais visceral de Queen B, pois é provocativo e apresenta a cantora mais segura de si e de suas origens – o que foi um choque para nação.

Com a turnê do álbum sendo realizada durante todo o ano o empoderamento feminista e negro não tiveram tréguas e nesta semana a cantora provocou mais uma polêmica ao se fantasiar de Barbie para as comemorações de Halloween. Beyoncé e seu companheiro Jay-Z juntos da filha Blue Ivy brincaram de Barbie e Ken, provocando alvoroço nas redes e trazendo uma boa crítica social, a representatividade.

Já comentei em outro post sobre como é importante nos reconhecermos, principalmente na fase infantil. Me lembro de como amava as minhas bonecas, nunca esquecerei da minha primeira Barbie – loira, magra, olhos azuis (como todas as outras) e vestido de princesa azul marinho com prata – e lembro também de nunca ter pensado ou questionado por que todas minhas bonecas eram brancas, loiras e de olhos azuis. Não questionei porque não me deram oportunidade, em todas as lojas eu encontraria as mesmas bonecas e todas teriam as mesmas características. Ora, então a indústria de brinquedos é que estava certa, aquele era o padrão das bonecas do mundo.

A Barbie já foi símbolo de graça e perfeição, imposta pela ditadura da beleza e com certeza foi também o pesadelo de muitas garotinhas do mundo, fora dos padrões inalcançáveis e impossíveis de serem atingidos. Beyoncé escolheu precisamente um dos poucos modelos negros da marca de bonecas e trouxe novamente o debate sobre empoderamento negro. Não vou cansar de dizer que precisamos de representatividade, agora e sempre, cansei de ver negras e negros em papéis degradantes na mídia, não podemos mais admitir. Eu fico muito feliz quando vejo a Mc Soffia – busquem saber, link pra música no final do texto – cantando e dançando com várias crianças, meninas e meninos negros, nos shows: “Devolva minhas bonecas. Quero brincar com elas. Minhas bonecas pretas, o que fizeram com elas? Vou me divertir enquanto sou pequena. Barbie é legal, mas eu prefiro a Makena africana.” Ei Mattel, crie mais bonecas negras porque do contrário não vamos comprar.

Link para música da Mc Soffia

Por Lua

1 Comentário

  1. GUEL FERNANDES disse:

    lembro bem desta Barbie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *